Lições de História: Dois volumes e duas ‘lições’ de como se faz uma boa síntese

03/03/2014 12:01

Rafael Lapuente

A história, pelo menos no seu estado de perfeição ideal, é um misto de poesia e filosofia. Imprime no espírito verdades gerais por meio da representação viva de certos personagens e incidentes.

Thomas Macaulay, citado por Sérgio Campos Gonçalves

Lições de História: Assim é o primeiro título de dois livros organizados pelo professor Jurandir Malerba, graduado pela UFOP, mestre pela UFF e doutor em História Social pela USP e atualmente professor da PUCRS. Lições de História – O caminho da Ciência no longo século XIX é o primeiro deles. Contando com uma seleção de artigos de nomes conhecidos na academia em todo o Brasil, como Lilia Moritz Schwartcz, Leandro Konder, Daniela Kern e também o francês François Dosse, mundialmente conhecido como autor de História em Migalhas e A história, a obra tem como temática abordar de maneira sucinta a biografia e a obra de um historiador do século XIX, sendo que, no final de cada artigo ainda temos a oportunidade de ler um trecho do trabalho do próprio historiador abordado.

Os autores trabalham com nomes como Voltaire (o único não propriamente do século XIX, mas justificado por Malerba na introdução do livro), Jules Michelet, Leopold Von Ranke, Karl Marx ou alguns menos conhecidos, como o positivista comteano Louis Bordeau, Paul Lacombe, Lord Acton entre outros. Apenas François Dosse não aborda um historiador em específico, fazendo uma excelente síntese geral sobre a escrita da história no século XIX.

Proposta idêntica é o do volume II do livro, cujo subtítulo, Da história científica à crítica da razão metódica no limiar do século XX já dão uma amostra dos nomes trabalhados: Friedrich Nietzsche, Max Weber, Benedetto Croce, os nomes principais da ‘Revolução Francesa da Historiografia’, Marc Bloch e Lucien Febvre e mais 11 intelectuais tem sua vida e obra discorridas por professores como Carlos Aguirre Rojas (organizador, junto com Malerba, do livro historiografia contemporânea em perspectiva crítica), José Carlos Reis, Raimundo Cardoso Cordeiro Jr e René Gertz, a obra lançada na última Feira do Livro de Porto Alegre é ainda mais ampla e aprofundada do que a primeira.

Obviamente, o objetivo de estudo do período historiográfico em questão não é um retorno a concepção histórica trabalhada, mas visa esmiuçar e conhecer os caminhos que a história percorreu até os dias de hoje. O valor das obras – sobretudo do primeiro volume, onde falo com maior propriedade por ter lido integralmente – é justamente despir da concepção destrutiva que a Escola Metódica durante muito tempo nutriu, embasado nos ataques de Lucien Febvre e, assim, poder analisar e compreender a contribuição desses nomes para a escrita da história. Afinal, não é a toa que um novo ramo de pesquisas, a história da historiografia, vem ganhando cada vez mais terreno nos meios acadêmicos. Uma obra sintética altamente recomendada pela clareza e objetividade nas sínteses, indispensáveis nas bibliotecas particulares de historiadores e pesquisadores.

Indicação:

MALERBA, Jurandir. Lições de História: O caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

______. Lições de História: Da história científica à crítica da razão metódica no limiar do século XX. Porto Alegre: Editora FGV/Edipucrs, 2013.

—————

Voltar


Comentários: Lições de História: Dois volumes e duas ‘lições’ de como se faz uma boa síntese

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!